Nossa História

Ruínas Alagoinhas Velha

Criada em 28 de Outubro de 1974, pela Bula “Qui Summi” do Papa Paulo VI, a Diocese de Alagoinhas foi desmembrada da Arquidiocese de São Salvador da Bahia e instalada em 2 de fevereiro de 1975, tornando-se mais uma das dioceses que compõem a Província Eclesiástica de São Salvador. Seu primeiro bispo foi Dom José Floriberto Cornelis OSB, arcebispo-bispo (1974-1986).

Um fato que muito influiu na orientação da nova diocese, foi ela ter nascido logo depois do Concílio Vaticano II e o seu primeiro bispo ter participado daquele concílio. A construção do Centro Diocesano e a realização da Assembléia Diocesana anual refletem as inspirações deste Concílio. Além disso pode-se destacar algumas das suas iniciativas como a abertura da Escola de Catequese; o amplo leque de pastorais que foram iniciadas ou encaminhadas; o incentivo ao apostolado e a responsabilidade dos leigos e leigas; o boletim diocesano mensal “Caminhar Juntos” e a Comissão Diocesana de Justiça e Paz.

Atualmente a Diocese é administrada por Dom Paulo Romeu Dantas Bastos, que sucedeu, em 2002, o hoje bispo emérito, Dom Jaime Mota de Farias. Dom Paulo é o terceiro Bispo da Diocese de Alagoinhas, desde sua fundação.

A Diocese de Alagoinhas é composta por 32 paróquias que estão distribuídas nos municípios de Alagoinhas, Acajutiba, Aporá, Araçás, Aramari, Cardeal da Silva, Cipó, Conde, Crisópolis, Entre Rios, Esplanada, Heliópolis, Inhambupe, Itanagra, Itapicuru, Jandaíra, Mata de São João, Nova Soure, Olindina, Pojuca, Ribeira do Amparo, Rio Real, Sátiro Dias e Teodoro Sampaio.

**************************************************

Situação Geográfica:
A Diocese situa-se entre as regiões Agreste e Litoral Norte da Bahia.

Limites:
Diocese de Paulo Afonso (BA), Diocese de Camaçari (BA), Diocese de Serrinha (BA), Diocese de Estância (SE), Arquidiocese de Feira de Santana (BA) e Oceano Atlântico.

Superfície:
15.795 km²

População:
728.259 habitantes (Censo 2010)