E o Lixo doméstico!

Dom Severino Clasen
Bispo Diocesano de Caçador
Presidente da Comissão Episcopal de Pastoral para o Laicato

 “O Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a própria vida como resgate por muitos” (Mt 20,28).

As pessoas dos tempos modernos, vítimas do aceleramento provocado pelas novidades eletrônicas e redes sociais, deve ser alertado ao que produz e o que conduz os comportamentos.

Mudanças de hábitos, evolução nas tecnologias, rapidez na comunicação, controle das massas e direção de ideologias, escassez do cuidado pelo outro e pela outra e o perigo da insensibilidade diante do natural e natureza. São algumas vertentes que provocam mudanças de costumes. A rapidez, a necessidade da novidade, produz sobras e muitas sobras em nossas casas e em todo lugar. Onde colocamos o lixo produzido em alta escala, em vista das sobras e a sede pela novidade?

Diz o texto Base da CF 2016: “Um dos aspectos do saneamento básico é o destino dos resíduos líquidos e sólidos. Esses resíduos que chamamos de lixo são produzidos pelas indústrias, mas são produzidas diariamente também pela população em quantidade cada vez maior.

A redução da produção de lixo é um dos primeiros objetivos da nossa contribuição ao saneamento básico. Diminuir o volume de lixo é um hábito cada vez mais urgente e o processo começa com as escolhas que cada um faz. Planejar as compras, usar sacolas retornáveis, evitar as embalagens descartáveis, escolher produtos com menos embalagem, comprar produtos não descartáveis, substituir os copos descartáveis, cozinhar somente o que será consumido, dentre outras medidas, evita o desperdício e reduz a geração de resíduos. Todas as pessoas sabem que quando jogamos algo fora, simplesmente o depositamos em outro lugar”. (ns. 90 e 91).

O desenvolvimento humano se revela pela capacidade de ordenar e conviver com liberdade, produzindo limpeza, com segurança e garantias de saúde e bem estar. “Quero ver o direito brotar como fonte e correr a justiça qual riacho que não seca” (Am 5,24). A vida deve ser colocada no topo dos objetivos da nossa missão, da nossa preocupação e de toda ocupação. Diz o Papa Francisco na sua carta para o Ano Jubilar. “Um dos graves problemas do nosso tempo é certamente a alterada relação com a vida. Uma mentalidade muito difundida já faz perder a necessária sensibilidade pessoal e social pelo acolhimento de uma nova vida”. Vida não é lixo, não pode ser descartada. O meio ambiente não é lixo, não pode ser descartado. As coisas que usamos devem ter encaminhamento e relocação.

A Campanha da Fraternidade faz sentido por que olhamos com sensibilidade e cuidado para todas as coisas e sejam ordenadas para que o ser humano tenha condições de servir a si mesmo, aos outros e a natureza, tudo é criatura e o único criador é Deus.

O mesmo Deus que beneficiou e beneficia toda a criatura, deu seu Filho por amor. Este entregou sua vida por todos nós para que cada ser criado conhecesse os dons e dádivas existentes e aprenda a ordenar tudo o que o mestre ensinou. Nem a morte foi descartada para que do lixo humano coberto pela vaidade, mesquinharia, orgulho, luxúria vencesse, mas no fim, a morte foi tragada e a vida venceu.

Na manhã da Páscoa queremos ressurgir com nova sensibilidade e muito mais cuidado com tudo o que ocupamos, o que nos servimos e o que produzimos. Vida faz brotar o novo, o resplendor e luz para que brilhemos com as boas obras, cuidando, protegendo a “Nossa Casa Comum”. Esta é nossa responsabilidade e a nossa meta.

Que a quaresma nos encoraje para essas boas obras e não sejamos sufocados pelos lixos e resíduos que nos sufocam, nos adoecem e nos matam. A vida deve prevalecer e vencer todas as tentações e toda a luxúria.

Que o Espírito Santo nos impulsione para esse novo jeito de viver e através da oração, da escuta da Palavra de Deus, na reconciliação penitencial e na participação dos exercícios das obras corporais e espirituais protegemos a nossa casa.

2 comentários sobre “E o Lixo doméstico!”

  1. Nesse sentido, vale lembrar que a poluicao gerada pelos tipos de lixo tem causado diversos impactos negativos no meio ambiente como a destruicao de ecossistemas, diminuicao da biodiversidade, contaminacao do solo, das aguas e do ar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *